Deuses Americanos e a adoração aos novos deuses

Deuses Americanos e a adoração aos novos deuses

POR: TATO CAMPOS - 02.04.2019 17:17
    

American Gods (Deuses Americanos) é uma série baseada no livro de Neil Gaiman de mesmo nome, a trama da serie é focada em Shadow Moon, um homem que cumpre três anos de prisão. Faltando poucos dias até o fim de sua sentença, Shadow acaba sendo liberado inesperadamente depois que sua amada esposa, Laura, é morta. Mais pra frente na história, Shadow encontra-se com um homem chamado Wednesday, que lhe oferece um emprego. Em primeira instância, Wednesday parece ser nada mais que um trapaceiro que precisa de Shadow como guarda-costas. Wednesday, que na verdade é Odin, está andando pelos EUA, reunindo todos os velhos deuses, que agora se incorporaram na vida americana, para enfrentar os novos deuses, em uma guerra de proporções divinas, incluindo os relacionados a mídia e tecnologia, que estão se fortalecendo.

 

 

Algo que me chama muito a atenção nessa série é a explicação do crescimento e diminuição das forças de um deus, seja ele novo ou velho, os deuses precisam de seguidores, de adoradores, para que suas forças sejam renovadas, fortalecidas e eles sejam poderosos o suficiente para derrotar outros deuses. Que é o único ponto que diferencia do Deus criador das Escrituras Sagradas do cristianismo, que, embora queira que os homens O adorem por escolha própria, Ele continua sendo Deus, Onipotente, Onipresente e Oniciente não dependendo dos humanos para que isso aconteça.

 

 

Outro ponto que me intriga na série é a colocação dos novos deuses, como a mídia, a tecnologia, o mundo, a vigilância, a internet, que é o que, hoje em dia, tem roubado o tempo dos fieis não é mesmo? Hoje em dia, pastores pregam olhando para uma câmera, ao invés de olhar para suas ovelhas, hoje os fieis estão constantemente com um celular em mãos para filmar o período de louvor e adoração nos cultos, para mostrar aos outros que eles vão à igreja, hoje em dia, as pessoas postam mais fotos, vídeos e estudos nas redes sociais que passam tempo orando e conversando com Deus, afinal de contas, o que importa é quantos seguidores eu tenho e o poder de influência sobre essas pessoas, não é a minha intimidade com Deus, pois se as pessoas entrarem em minhas mídias e virem que eu sou cristão de verdade, isso já garante meu lugarzinho no céu, ao lado de Jesus.

 

 

A Bíblia passou a ser antropocêntrica ao invés de Cristocêntrica, as palavras passaram a ser conforto e elevação do ego, ao invés de confronto e correção divina, os louvores tem foco no que Deus pode fazer por mim, ao invés de adorar e louvar ao Senhor Deus, o Criador! Será que não estamos vivendo os tempos dos novos deuses e estamos os adorando muito mais e deixando o Deus real de lado? Será que estamos vivendo para nós mesmos? Será que estamos vivendo para exaltar os deuses da mídia, tecnologia e mundo ao invés de exaltar o nome do Senhor Deus???

 

 

Que possamos voltar ao Cristocentrismo e a adoração real a Deus, que é um estilo de vida, por completo, e não apenas momentos nas nossas redes sociais!!!

 

LEIA MAIS SOBRE:
Licença Creative Commons Este conteúdo está licenciado sob a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-No Derivative Works 4.0 Brasil License.

OUTROS ARTIGOS PARA VOCÊ LER:

VOCÊ PODE GOSTAR DISSO:

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Para o bom funcionamento do site, necessário aceitar os coockies. Veja quais são eles.