Viúva Negra
Review - Filme

Viúva Negra

TATO CAMPOS - 26.07.2021 13:08 | Atualizado: 26.07.2021 13:11
    

Existe alguns pontos que comumente são chamados de silêncio, tipo aquela página em branco no meio das Escrituras Sagradas, o período intertestamentário, ou o silêncio de Deus, e muito se é especulado desses períodos de silêncio entre as histórias que são contadas, inclusive, o que aconteceu com a Viúva Negra, após o filme Capitão América: Guerra Civil, até os acontecimentos futuros de Guerra Infinita e Ultimato.

O filme que conta a história de Natasha Romanoff é feito justamente para preencher esse tipo de lacuna e ainda conta uma história de origem, mostrando toda a evolução da fórmula Marvel de storytelling, com elementos musicais, flashbacks e muita ação em um filme de herói com espionagem. 

A trilha sonora do filme é algo em especial que pode ser mencionado, pois Smells Like Teen Spirit, no modo que foi colocado no filme, precisa de um parágrafo apenas para essa música, foi um dos pontos altos do início da produção, que conta a infância da protagonista e nos dá todo um plano para que a figura da Femme Fatale seja “justificado” ou melhor apresentado para o público, explicando e dando motivações para as ações e comportamentos da personagens. 

Já entrando no ponto da trama, o filme mostra um período bem intenso na vida de Natasha, que nos mostra o crescimento e amadurecimento da personagem para a heroína altruísta que vimos em Ultimato, vemos o que levou a personagem a ser o que vimos em seus últimos momentos.

Logicamente somos apresentados a alguns personagens novos que são importantíssimos para a trama do filme, carismáticos e que não tiram o protagonismo de Romanoff, como sua família falsa, o Guardião Vermelho, o sime Capitão América da Rússia, que é excelente personagem, a força bruta do filme que é alívio cômico também, porém não deixa o filme infantil ou idiota e não tira nada do protagonismo da Natasha. Sua fake-mãe e irmã também são personagens muito boas e bem construídas, Yelena, inclusive, que vestirá o manto de Viúva Negra em futuras produções, é uma personagem com uma construção interessante e que tem a premissa de continuar o trabalho com a mesma importância de sua irmã. 

A Fotografia do filme e a edição são interessantes, cenários bonitos, lutas coreografadas que não incomodam, não temos tantas cenas de espionagem, como perseguições com carros, embora tivemos com motos, que é bem do estilo, não temos missões impossíveis que nos levam a momentos de tensão com lugares impenetráveis que são invadidos e elementos roubados para terminar a missão. Mas temos um ar de 007 com Daniel Craig, ou os últimos filmes de Missão Impossível, com cenas de ação com lutas, tiros, armas aleatórias e muitas poses, como é de se esperar da Viúva Negra. 

Um filme sobre família, amizade, espionagem, que serve como filme ponte para nos explicar quais são as intenções, motivações da personagem e inclusive o que aconteceu em sua vida e em seu caráter para sair de uma Badass para uma companheira e parte de uma família que foi escolhida, com laços que unem pessoas diferentes em um propósito maior que eles.

Viúva Negra é um longa bem interessante que divide opiniões, porém, muito disso se dá pelo fato dos fãs esperarem obras mirabolantes e estupidamente grandiosas da Marvel, mas sabemos que precisam existir filmes menores para que os grandes sejam grandes. 

Recomendo que assistam e tirem suas próprias conclusões, mas se quiserem saber um pouco mais do que o filme pode nos passar, que talvez possa mudar sua mentalidade de como assistir o filme e ainda ser edificado pelo mesmo, confira a nossa Palavra Nérdica de Viúva Negra!

LEIA MAIS SOBRE:
Licença Creative Commons Este conteúdo está licenciado sob a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-No Derivative Works 4.0 Brasil License.

OUTROS ARTIGOS PARA VOCÊ LER:

VOCÊ PODE GOSTAR DISSO:
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Para o bom funcionamento do site, necessário aceitar os coockies. Veja quais são eles.